Ex-feminista Sara Winter fala contra o aborto no Senado Brasileiro

Audiência Pública com a finalidade de discutir a descriminalização do aborto no Brasil.

Depoimento de Sara Winter sobre aborto no Senado.

Sara-Winter-740x493

 

Eu queria contar a minha história e mostrar que o aborto é feito em um momento de desespero e quando incentivado e facilitado pode causar sequelas irreparáveis.

Foi muito difícil falar com feministas me xingando, vaiando, interrompendo, fora os cartazes que elas iam fazendo alí na hora, me chamando de “nazista”, “fascista” e até “puta”.

Zombaram da minha dor, riram e quiseram me humilhar.

Senti vergonha de mim mesma por ter tido aquele tipo de comportamento um dia.

Feministas não se importam de serem cruéis com outras mulheres, basta não serem de esquerda ou discordarem de qualquer pauta delas.

—————————————-­——————————-
Para comprar meu livro que conta os bastidores do Feminismo, acesse www.sarawinter.com.br e clique em LIVRO.

 No dia 28/04/2016, pela manhã, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal do Brasil realizou uma Audiência Pública com a finalidade de discutir a descriminalização do aborto no Brasil.

Pela sugestão 15 / 2014, a interrupção da gravidez pelo SUS seria permitida dentro das 12 primeiras semanas de gestação.

Entre as posições contrárias ao aborto estavam Sara Winter, Dóris Hipólito e Rose Santiago.

Sara Winter é ex-feminista. (Leia entrevista de Sara com ZENIT). Por anos pertenceu ao movimento pró aborto, tendo inclusive feito um aborto. Recentemente, com o nascimento do filho Valentim, descobriu o milagre da maternidade e hoje é uma das mais aguerridas defensoras da vida.

Em mensagem publicada no seu perfil pessoal do Facebook Sara Winter disse que “Não tem preço poder trabalhar com o que eu amo: defender a vida!”, no entanto, disse também que “Não foi fácil falar com as feministas xingando, vaiando e mostrando cartazes ofensivos, porém acredito que passei o meu recado”. “Muito obrigada por todo apoio: o aborto NÃO PASSARÁ”. Por fim, destacou também nesse post uma observação “tive que sair escoltada do plenário, porque elas tentaram cuspir em mim!”.

Em sua fala na audiência afirmou que “Eu nunca pensei que seria dentro da Igreja que eu encontraria pessoas que fazem muito mais pelas mulheres do que o feminismo jamais fez”. Em seguida denunciou que “O movimento feminista no Brasil tem grupos no facebook que ajuda as mulheres a fazerem aborto”. “Se eu tivesse conhecido as iniciativas Pró-Vida antes eu nunca teria feito isso”, disse. Com a voz trêmula afirmou também que “Eu sonho com um pedaço do meu filho saindo de mim, e eu sonho tentando colocar ele de volta”.

A ativista pró-vida disse também que “O movimento feminista só quer legalizar o aborto por questão de ego porque existem tantas pautas importantes que estão sendo deixadas de lado”. “O aborto não é só a morte do bebê, é a morte de uma mãe”.

Sara Winter afirmou que “O objetivo final do corpo humano com o sexo é reproduzir. É preciso que as pessoas tenham o culhão não só para levantar cartazes, mas para a assumir as suas responsabilidades também”.

FONTE: ZENIT

MAIS…

>> Leia aqui no site tudo sobre aborto

_______
Siga APCNEWS no Facebook e Twitter

Deixe seu comentário!
Mais em Brasil
Fatos sobre Michel Temer que parecem coisas de sensacionalistas mas não são!

 O Senado está para votar o afastamento da presidente Dilma Rousseff. Se aprovado, ela ficará pelo menos seis meses fora...

Fechar